Viver é a melhor opção: a prevenção do suicídio no Brasil e no mundo, de André Trigueiro

André Trigueiro, em seu livro Viver é a melhor opção: a prevenção do suicídio no Brasil e no mundo, consegue de forma cuidadosa falar de um assunto tão delicado trazendo dados relevantes sobre os números de suicídios no Brasil e no mundo segundo a OMS – Organização Mundial da Saúde, explicando o quanto é difícil para as pessoas falarem de suicídio, até mesmo para as famílias e que se sentem impotentes diante dessa dor.

Ele traz uma palavra Suicidologia e a conceitua e ainda apresenta os principais fatores de risco e como prevenir na prática. Apresenta o CVV – Centro de Valorização da Vida

André Trigueiro traz a visão espírita nas palavras de Alan Kardec sobre o suicídio, trazendo o exemplo de André Luiz psicografado por Chico Xavier, o filme Nosso Lar que fala dos suicidas, e aborda o pensamento de Joanna de Ângelis sobre o que ela pensa do suicídio.

Prece, de Fernando Pessoa

Prece, Fernando Pessoa

Senhor, que és o céu e a terra, que és a vida e a morte! O sol és tu e a lua és tu e o vento és tu. Tu és os nossos corpos e as nossas almas e o nosso amor és tu também. Onde nada está tu habitas e onde tudo está – (o teu templo)  – eis o teu corpo.

Dá-me alma para te servir e alma para te amar. Dá-me vista para te ver sempre no céu e na terra, ouvidos para te ouvir no vento e no mar, e mãos para trabalhar em teu nome.

Torna-me puro como a água e alto como o céu. Que não haja lama nas estradas dos meus pensamentos nem folhas mortas nas lagoas dos meus propósitos. Faze com que eu saiba amar os outros como irmãos e servir-te como a um pai. […]

Minha vida seja digna da tua presença. Meu corpo seja digno da terra, tua cama. Minha alma possa aparecer diante de ti como um filho que volta ao lar.

Torna-me grande como o Sol, para que eu te possa adorar em mim; e torna-me puro como a lua, para que eu te possa rezar em mim; e torna-me claro como o dia para que eu te possa ver sempre em mim e rezar-te e adorar-te.

Senhor, protege-me e ampara-me. Dá-me que eu me sinta teu. Senhor, livra-me de mim.

 

Retirado do livro O Eu Profundo – Obras em Prosa, 1976.

A grandeza do mar, de Paulo Roberto Gaefke

A grandeza do mar, de Paulo Roberto Gaefke

Você sabe por que o mar é tão grande?
Tão imenso? Tão poderoso?
É porque teve a humildade de colocar-se alguns centímetros
abaixo de todos os rios.
Sabendo receber, tornou-se grande.
Se quisesse ser o primeiro, centímetros acima de todos os rios,
não seria mar, mas sim uma ilha.
Toda sua água iria para os outros e estaria isolado.
A perda faz parte.
A queda faz parte.
A morte faz parte.
É impossível vivermos satisfatoriamente.
Precisamos aprender a perder, a cair, a errar e a morrer.
Impossível ganhar sem saber perder.
Impossível andar sem saber cair.
Impossível acertar sem saber errar.
Impossível viver sem saber morrer.
Se aprenderes a perder, a cair, a errar, ninguém mais o controlará.
Porque o máximo que poderá acontecer a você é cair, errar e perder.
E isto você já sabe.

Bem aventurado aquele que já consegue receber com a mesma naturalidade
o ganho e a perda, o acerto e o erro, o triunfo e a queda, a vida e a morte.

Retirado do livro “Quando é preciso Viver”

 

Milagres, de Rodrigo Alvarez

Milagres é o belo livro que relata 300 anos de acontecimentos sobrenaturais atribuídos à intervenção de Nossa Senhora Aparecida. O escritor Rodrigo Alvarez teve acesso ao conjunto de milagres do Santuário Nacional de Aparecida incluindo histórias dos fiéis onde ele relata os acontecimentos extraordinários associados à Nossa Senhora.

 

 

O Silêncio das Montanhas, de Khaled Hosseini

Este livro traz histórias sobre perdas, abandono e separação. História de dois irmãos, órfãos de mãe, com grande ligação entre eles desde pequenos. O autor narra história de diversas pessoas que em algum momento se relacionaram com os irmãos e sua família. É um livro sobre o amor em uma família que tenta se reencontrar.

Muito bom!