Minha biblioteca. J. G. de Araujo Jorge

Conheci as poesias de J. G. de Araujo Jorge ainda na adolescência. Gosto de todas, mas, algumas são especiais como Orgulho e renúncia, Meu céu interior e esta:

Minha biblioteca

Pátria e lar do pensamento,
porto do coração.
Minha loja de sonhos, mercado de emoções
onde faço pelas madrugadas a minha “feira”
para reabastecer meu espírito de realidades e ficções
e sobreviver.

Aí estão as prateleiras sortidas, estoques inesgotáveis
de fantasias a experiências
para a minha fome de conhecimentos, minha sede
de descobertas,
minhas ânsias de beleza.

É só estender a mão e colher o livro
como um fruto maduro que lentamente degusto
e, milagrosamente,
permanece inteiro, íntegro, intacto
entre folhas e flores
e surpreendentemente se renova e multiplica
em inusitados sabores.

Minha biblioteca
parque de papel e palavras
onde me perco em andanças e onde me reencontro
em tantos caminhos desconhecidos,
bosque de tantos livros, como as árvores
com quem Beethoven conversava
em seu bosque de Bonn.

Meus livros, companheiros pacientes e silenciosos
com quem dialogo horas sem conta,
que não discutem, não alteiam a voz
em tantas discordâncias inevitáveis,
e humildemente se fecham e se recolhem
a um simples gesto meu de impaciência, cansaço
ou de sono.

Minha biblioteca,
abrigo certo
oásis de águas e sombras
no imenso deserto,
que me faz decolar de tantas realidades
e planar como uma asa-delta
sozinho, sobre paisagens insuspeitadas.

Minha biblioteca,
pousada no caminho
onde me sento, a pensar,
e onde chego a esquecer que há um mundo
rosnando ameaças ao redor,
e adormeço como um menino
feliz..

2 comentários sobre “Minha biblioteca. J. G. de Araujo Jorge

  1. Oi Almira, obrigada pela visita. Já vendi alguns lixinhos para parentes e amigos por R$ 20,00 mas no momento quase não tem sobrado tempo para costurar. Estou me preparando para trabalhar com isso quando me aposentar daqui a uns dois anos. Ainda me considero iniciante pois comecei a costurar a menos de 1 ano. Vi a foto do seu pai no blog e me lembei de meu avô paterno. Sinto muita saudade dele. Um grande beijo.

    Curtir

  2. Quando eu era mais jovem, eu dizia que quando aposentasse iria ficar trancada numa biblioteca ou então assistindo filmes.
    Mas estou aqui com a mamae e filme não assistimos, mas leio bastante. Só não consegui na biblioteca.
    Com carinho Monica

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s